dezembro 24, 2012

E agora, o Natal passou!














Como todos, ou a maioria, eu também sou uma das pessoas que espera chegar o Natal. Mas no meu caso, talvez da maioria também, está mais ligado ao fato de eu poder estar com meus familiares, poder descansar um pouco, e é claro poder comer aquelas deliciosas comidas, além da tradicional troca de presentes, hoje chamado de “amigo secreto”. E é só depois de passado toda esta propaganda comercial do Natal, é que eu consigo de fato parar e pensar nele do ponto de vista do seu significado real, até porque é só quando passa essa loucura mercadológica midiática, além dos compromissos festivos, é que consigo um tempo só para mim.

Esta é uma data festiva, que sem querer entrar no mérito da data exata do nascimento de Jesus (que sabemos que não é esta a data original, pois ninguém sabe exatamente qual é), ela nos faz pensar – ou deveria – sobre o significado da vida. Se nossa vida tem um sentido, se a valorizamos, quais sãos as pessoas importantes com as quais devemos caminhar juntos, etc. Claro que às vezes estes sentimentos são ofuscados, como eu disse, pela gama desenfreada do comércio e mídia, mas a despeito de todas as críticas filosóficas e teológicas que aqui caberiam, o fato é que podemos também refletir significativamente nesta data natalina.

A questão que se coloca assim que buscamos o significado desta data é: o que faremos a seguir!? Veja que todos nós tendemos a demarcar datas festivas para que elas se fixem em nossa memória. Sempre foi assim na humanidade, festas, comemorações, etc., servem para recordações, para marcar momentos importantes de nossas vidas, e é por isso que a humanidade tem uma História a contar. Mas a vida não está limitada às datas festivas, aliás, a vida não são as datas das quais comemoramos. O que comemoramos é a própria vida vivida, que não se limita a datas comemorativas.  Datas servem apenas como marco, como símbolo, como representação de tudo que fizemos e o que somos, logo a data é posterior ao que vivemos anterior a ela, comemoramos aquilo que já vivenciamos e o que nos tornamos.

Desta forma, o Natal deve ser comemorado não apenas como o nascimento de Jesus Cristo, mas o nosso próprio nascimento a partir dele. Surge então outra questão: desde nosso último nascimento com ele (último Natal) como foi estar ao lado dele até aqui?! E esta mesma questão deverá ser respondida no próximo Natal – para os que chegarem até lá! -, pois depois desta data natalina aqui de 2012, a vida continua, e qual será o tipo de Natal que estaremos comemorando no próximo ano. Isto deve ser refletido.

Algumas famílias não se encontram mais, alguns casais não estouram mais champanhe (ou suco, refrigerante, seja lá o que for), alguns pais e filhos não trocam mais presentes, alguns amigos não se falam mais, alguns religiosos não se regojizam mais, alguns avós e netos não se visitam mais, e ainda assim a comemoração do Natal está aí, para todos que quiserem ver. Qual seu significado de fato? O que estamos comemorando? Como serão os próximos natais?   

Eu, como a grande maioria, tenho planos, desejos, interesses, vontades, sonhos. Portanto, que este Natal seja um marco, um símbolo, mas o início de um novo nascimento ao lado de Cristo, para que as festas dos próximos anos tenham ainda mais sentido, ainda mais valor, ainda mais motivo de continuarmos comemorando a verdadeira essência do Natal que é ser nascido do Senhor do Natal.

Feliz Natal para todos que vivem seu verdadeiro significado!

Fabiano Mina