novembro 13, 2012

Os estúpidos destroem a oportunidade de conhecimento





Para aqueles que não estão familiarizados com este tipo de frase, existe uma passagem bíblica em II Ped 3:16 onde o apóstolo Pedro (?) faz menção a alguns ensinamentos cristãos escritos pelo apóstolo Paulo, que era um dos - se não o apóstolos mais letrado - responsáveis por ensinamentos de difícil compreensão que algumas pessoas insistentemente na época achavam que dominavam, mas acabavam ensinando ou falando uma porção de baboseiras sobre o cristianismo destruindo o verdadeiro conhecimento do Evangelho, daí o título deste texto.

Claro que a frase na Bíblia aparece mais “educada” do que o título que coloquei; normalmente vem escrita em algumas traduções assim: "...os indoutos e inconstantes destorcem... para sua própria perdição..." Mas convenhamos, sabemos que a tradução das Escrituras muitas vezes tem certo eufemismo. O fato é que há um monte de gente estúpida e indecisa que acha que sabe do que está falando em matéria de cristianismo, quando sai por aí ensinando, pregando, comentando, até mesmo profetizando, um monte de bobagem que somos obrigados a aguentar.

Quando falo que somos obrigados é porque vivemos na época dos medíocres, ou seja, o mundo cada vez mais é nivelado por baixo. Isto já estava acontecendo lá na época dos apóstolos, quanto mais hoje! Muitos que eram de baixo conhecimento na época  queriam nivelar a religião cristã por baixo, a partir deles, e hoje em pleno século XXI isto é cada vez mais recorrente. Eu já escrevi sobre isto algumas vezes, mas sempre é bom lembrar: só porque alguns possuem acesso às novas tecnologias acham que isto é sinônimo de “sabedoria”, de inteligência, de criatividade. Só porque conseguem se comunicar com alguém lá do outro lado do planeta com um click de botão, acham que estão anos luz distante em inteligência dos medievais, quando só provam cada vez mais a estupidez só por pensarem assim.

E o que temos visto são os estúpidos dominando cada vez mais o mundo e se infiltrando cada vez mais na religião cristã (ou evangélica, como queiram!). E o pior é que estes não podem mais ser contrariados como antes, pois quando são confrontados, quando são redarguidos, quando são “resistidos na cara” (alá apóstolo Paulo contra o comportamento de Pedro e Barnabé aos Gálatas), estes se doem, são defendidos pela mesma corja da qual fazem parte, se sentem feridos, fazem biquinho, quando não usam o tal do argumento do “amor cristão” (se soubesse mesmo o que é isto) para respaldarem suas ignorâncias e mediocridade religiosa. Querem fazer do cristianismo seu lugar de conforto pessoal. Significa que eles podem falar o que querem, ensinar as bobagens que bem lhe vierem à cabeça, e temos que ouvir e ver estas bobagens calados, e se reclamamos recebemos a pecha de ignorantes, insensíveis, anti-espirituais e coisas do tipo. Pior ainda, estes estúpidos se auto-intitulam líderes, ministros, pastores, professores, diretores, apóstolos, pai (!), semi-deuses. E não se engane, não estou falando apenas daqueles que vemos no "jardim do vizinho", falo dos que estão no nosso jardim.

Então o que tenho visto é gente achando que sabe do que está falando só porque procura praticar uma vida ritualística religiosa metódica. Veja que não estou dizendo que são todos mal intencionados ou que não há espirituais neste meio, porém o verso que eu citei, do qual Pedro chama atenção, é de que há estúpidos (indoutos) e pessoas volúveis (inconstantes) que estão querendo ensinar coisas que não sabem e acabam perdendo a oportunidade de aprenderem com quem sabe ou no mínimo ficarem calados para não falar bobagem. Quero também deixar claro que não estou dizendo que não devemos nos arriscar, perguntar, até mesmo passar o que achamos que é certo, o problema está quando achamos que nosso ensinamento é o suficiente, que nossa tal espiritualidade encobre nossa ignorância, que o conhecimento constante é desnecessário com a desculpa que Deus "vê o coração". É deste tipo de comportamento infantil, ridículo, limitado que estou criticando. Pessoas que só porque se consideram bons religiosos se sentem no direito de assumir postos de liderança intelectual da qual não estão habilitadas. Quando não, confundem igreja com circo ou empresa, pois se tais pessoas conseguirem fazer a congregação dar risadas ou administrar bem o caixa da igreja, pronto!, lá está o novo líder da igreja. 

Alguém já viu uma pessoa formada em mecânica querer fazer uma cirurgia de coração? Ou um padeiro dar um de marceneiro? Quem sabe um cabeleireiro fazer um projeto arquitetônico de um prédio? Talvez estes até pudessem arriscar fazer uma destas coisas que não fossem de suas alçadas, mas é certo que não fariam com a excelência que o especialista pode, logo perderiam a oportunidade ficarem quietos em seus cantos. É mais ou menos isto que tem ocorrido hoje e é disto que Pedro está tratando. 

Ainda tem gente que confunde orar muito (?), subir e descer monte, ir a igreja cotidianamente, fazer campanha, ajudar os pobres, etc., com discernimento, conhecimento, ensino, pregação. Eventualmente uma pessoa pode ter todas estas coisas, mas isto não significa que ocorre com todos necessariamente o domínio do conhecimento bíblico só porque praticam tais coisas. Há coisas que devemos deixar para quem sabe, e foi o apóstolo Pedro quem disse não eu. Ele deixa isto claro no mesmo capítulo 3 de II Ped no verso 15, ressaltando a “sabedoria” de Paulo, ou seja, havia coisas que não cabia aos “espirituais” de plantão que na verdade eram estúpidos, muito menos cabia aos ritualistas ou até mesmo aos bem intencionados. Havia coisas que só cabia a pessoas como o apóstolo Paulo (temos alguém parecido com ele hoje? Meu Deus, melhor nem pensar nisto!). 
A espiritualidade seja de quem for não elimina o fato de que há coisas que nos foge ao conhecimento.

Porém basta ler alguns textos na internet, redes sociais, ouvir pregações de púlpito, músicas evangélicas, ensinamentos em roda de amigos, teologias de seminários, até mesmo textos de blogs como este que vos escrevo, para perceber como os estúpidos e inconstantes estão dominando o que chamamos de cristianismo. Tudo bem, talvez você pense que eu seja o estúpido também, mas isto não elimina o fato de você também poder ser um. 

Os estúpidos falam das coisas cristãs como se fossem temas novos e que nunca foram profundamente debatidos ou tratados por tantos homens de fé há séculos atrás. Homens de grande envergadura que dedicaram dias, meses, anos de suas vidas para conhecerem tais assuntos e temas, mas que hoje são ignorados por esses estúpidos que acham que estão trazendo coisas novas ou soluções novas.

Eu sugeriria para estes estúpidos e inconstantes que lessem um pouco dos textos da Patrística como Santo Agostinho, da Escolástica como Tomás de Aquino e Duns Scoto, de cristãos místicos como Mestre Eckhart ou Teresa de Ávila, dos cristãos gnósticos ou neoplatônicos como Pseudo-Dionísio ou Nicolau de Cusa. Sobre os primeiros protestantes do século XIII como John Huss e John Wycliffe, protestantes como Lutero, reformadores como Zwínglio, Knox, Calvino ou Arminius. Ler a aprender mais com teólogos e pregadores de grande calibre como Charles Spurgeon, Jorge Whitefield, Jhonatan Edwards, John Wesley. Ler sobre movimentos como dos anabatistas, batistas, puritanos, quackers, os movimentos avivalistas dos séculos XVIII e XIX no Ocidente, especialmente nos EUA. Os grandes missionários na Velha Europa ou vida devota como de uma Madre Tereza, São Francisco de Assis, a história de Bunyan ou mesmo de um Gandhi. Ler mais sobre os movimentos que ocorreram pela História, como o cristianismo pós-nazismo, que criaram novas perspectivas como o neoliberalismo teológico e a neo-ortodoxia como a de Karl Barth ou Paul Tillich, o cristianismo existencialista, fenomenológico ou humanista, a Teologia da Libertação, os primeiros movimentos pentecostais no século XIX-XX, as grandes influências teóricas filosóficas e teológicas radicais que mudaram as tradições, as teologias, os rituais, a cosmovisão das instituições cristãs atuais, as divergências, os acordos, as lutas e as tentativas de paz. Ler e conhecer mais sobre as atuais descobertas científicas, antropológicas, biológicas, etc. Sair da alienação que a mediocridade tem passado que não passa de pseudo-espiritualidade.
Sim, também podemos e devemos aprender com pessoas mais simples, menos letradas, mas isto não significa que devemos ignorar estes acima citados, pois seria o mesmo que dizer que os textos e ensinos do apóstolo Pedro seriam suficientes e que os de Paulo seriam descartáveis - não foi isto que Pedro sugere nesta sua passagem supracitada aqui no início, ao contrário. A simplicidade deve ser observada, porém a complexidade também deve ser respeitada.


Tudo isto unido a uma detida, minuciosa e paciente leitura das Escrituras nas suas mais diversas traduções, análises, entendimento, hermenêutico e exegético, nutrido sempre por um espírito humilde. Não humildade no sentido piegas e religioso no sentido de coitadinho, de bonitinho ou de boa intenção, mas humilde no sentido de que o conhecimento acerca das Escrituras, como disse Pedro, não era coisa para qualquer um, não pelo menos como Paulo escreveu, logo devemos estar dispostos a conhecer sempre. Deixa eu adivinhar: poucos estão dispostos a tal desafio, e é exatamente por isso que os medíocres, que sempre são a maioria, estão no controle cada vez mais. 

E esses estúpidos dirão que tudo isto é perda de tempo, que apenas eles possuem a real espiritualidade, que conhecer cristianismo é ser um simples-ignorante, ou seja, dizem que o excesso de conhecimento atrapalha a espiritualidade, pois o verdadeiro espiritual não precisa de conhecimento já que “Deus dá” (?) tudo o que ele precisa saber (conhecem heresias que nasceram assim?).
Eu até concordo que Deus nos dê o conhecimento que Ele bem entender, mas até aí ignorar o conhecimento que Deus também nos deu oportunidade de desenvolver, e isto através da vida de milhares de homens fiéis que passaram por esta vida, é no mínimo coisa de gente estúpida. O que na verdade só reflete e prepotência, arrogância e falsa humildade desses que se intitulam espirituais pautados em suas ignorâncias acerca do cristianismo.

Sim, o cristianismo é para todos (quem?), a salvação é algo simples, o acesso a Deus é a coisa mais fácil do mundo para os quebrantados de coração, mas não confundamos tudo isto com o necessário ensinamento, com a salutar pregação, com a objetiva declaração explícita do Evangelho. Tais coisas não são tão simples assim, caso contrário teríamos que rasgar esta passagem de II Ped 3:16 e nos perguntar porque Deus designou o apóstolo mais letrado para escrever a maioria dos livros e cartas aos gentios. 

Contudo, - como tudo que tem ocorrido em nossos dias - os estúpidos e inconstantes continuarão tendo vez, continuarão sendo os mais bem quistos, continuarão sendo os que terão mais voz, pois num mundo onde habita cegos, o caolho quando surge facilmente se torna rei, já diria o adágio popular.

Então antes de você achar que sabe do que está falando, ensinando, pregando, antes de achar que está trazendo algo novo, antes de achar que sabe mais do que o irmão que estuda, antes de achar que espiritualidade é sinônimo de burrice, antes de achar que boa intenção é sinônimo de verdade, antes de achar que o conhecimento é coisa para bitolado e anti-espiritual, antes de achar que Deus o elegeu como paladino da sua igreja, antes de achar que suas orações resolvem todas as questões de conhecimento e sabedoria, antes de achar que você descobriu uma coisa na Bíblia que ninguém antes havia descoberto, antes de achar que você é praticamente o porta voz de Deus na Terra, leia um pouco, só um pouco, destas indicações que citei acima. Não são minhas, são de homens e mulheres que se dedicaram ao Evangelho de Cristo, pessoas que abriram mão de muita coisa para ensinar os feitos do cristianismo e combater heresias de suas épocas (quando não, eles mesmos as criaram, é certo!) e ainda assim não conseguiram atingir o pleno conhecimento de Cristo. Antes de eu e você acharmos que conhecemos o suficiente, que aprender é desnecessário e que nossa espiritualidade é medida pela nossa estupidez, que tal aprendermos um pouco mais?!

São essas pessoas que não saem da frente da TV, ficam mais tempo em redes sociais, ficam tagarelando frases clichês de evangélicos, ficam recitando letras músicas gospel da moda, em vez de estudarem mais sobre tais coisas sobre o cristianismo, que ainda acham que sabem do que estão falando: o tal do mecânico que quer dar um de médico! Estúpidos? Inconstantes?

Sim leia as Escrituras, medite nelas, ore muito; se quiser até faça lá seus mantras ou rituais evangélicos se você acha que isto lhe dá super-poderes de evangélico (?), mas não ignore o ensinamento, o conhecimento, seja sábio e saia da sua estupidez, saia da sua mediocridade, baixe a bola e agradeça a Deus por ter colocado pessoas muito antes de você no mundo para que você não precisasse começar estudar todas estas coisas do zero outra vez, e bons estudos!

Att.

Fabiano Mina