janeiro 19, 2011

Eu não gosto de jiló! Não tem algo mais gostoso?

Quantas vezes ouvimos pessoas dizendo que não gostam de jiló. Este tipo de comportamento adquirimos durante a infância. Para quem não sabe as crianças adquirem hábitos alimentares que os pais ensinam. Se um pai e uma mãe possui determinado hábito alimentar, seus filhos, provavelmente, adquirirão os mesmos hábitos.
O mesmo ocorre quando “facilitamos” a vida dos nossos filhos com hábitos atuais. Atualmente as crianças e jovens têm criado hábitos alimentares muito pior do que os nossos e dos nossos pais. Eles querem estes alimentos “enlatados”, alimentos fest food, alimentos superficiais, que dão sensação de prazer, porém pouco alimentam. O Brasil é um dos países no mundo com maior problema de obesidade entre as crianças e adolescentes, seguindo exemplo dos EUA e China que possuem mais de 20% de obesos. Hoje mais de 11% da população brasileira possui problemas sérios com a obesidade. Sinal de que nas últimas décadas nossa alimentação não tem sido a melhor.

Mas porque não comemos então jiló? Não é um alimento bem melhor, mais barato, mais nutritivo se comparado com estes alimentos superficiais?
Todos nós sabemos que é melhor, porém é MENOS GOSTOSO.

Algumas pessoas perguntam porque muitas coisas não dão certo na vida. A resposta é na maioria das vezes muito simples: porque queremos as coisas mais gostosas da vida; porém o mais gostoso não é sinônimo de MELHOR.
Deveríamos lutar para termos o melhor para nossas famílias, para nossos amigos, para nossa comunidade, país, nação, mundo. Mas não buscamos tais coisas, buscamos aquilo que é MAIS GOSTOSO.

Do mais gostoso pessoas estão ficando ignorantes, pois é mais gostoso se divertir do que estudar. Do mais gostoso pessoas estão ficando viciadas, pois é mais gostoso usar drogas do que buscar alegria “careta”. Do mais gostoso casais se divorciam, pois é mais gostoso trair, do que ser fiel. Do mais gostoso igrejas perderam o foco em Cristo, pois é mais gosto dinheiro, fama, glamour, do que trabalhar pelos necessitados. Do mais gostoso pessoas estão sofrendo com desastres naturais, pois é melhor falar da desgraça dos outros sentados no sofá mudando de canal, do que preventivamente ajudar estas pessoas antes de tais catástrofes. Do mais gostoso políticos roubam nosso dinheiro, pois é mais fácil falar mal de político depois que roubam, do que participar das ações políticas do nosso pais, afinal de contas, quem é que gosta de política (jiló)?

Somos os da época do gostoso e não do jiló. Precisamos de jiló e não de coisas gostosas, pois do gostoso o mundo está se acabando. Não que o gostoso não deva ser vivido e usado em determinado momento da vida, mas é muito mais fácil viver o gostoso quando buscamos o melhor do que o contrário.

Fabiano Mina