abril 12, 2008

Em família!

Uma expressão que deveria ser comum uma vez que toda sociedade é constituída em primeiro lugar pela família, mas não é o que vemos nos dias de hoje.
Normalmente estar com a família está ligado a eventos, reuniões de funeral, notícias de prisões ou coisas co-relacionadas, mas o que esta expressão deveria indicar é o puro e simples ato de estar com a família e o prazer deste ato sem nenhum interesse escuso.

Quando outrora nossos avós, pais, falavam de estar com a família, a família era o princípio e a finalidade deste encontro, e não o que percebemos nos dias de hoje, um tipo de encontro formal onde os familiares chegam nessas reuniões já contando as horas para voltarem para suas casas e viverem suas vidas medíocres. O pior é quando esses mesmo que voltam dessas reuniões de família e deveriam ir para suas casas para estarem com suas família (esposa, esposo, filhos), voltam para seus lares para organizar suas finanças, assistir TV, ligar seus leptops , etc., ou seja, vivem uma vida "coisificada" onde não há mais espaço para a "família".

Mas ainda há os saudosistas como eu, não no sentido pejorativo da palavra, para os que assim a utilizam, mas no melhor sentido que aquilo que a saudade pode nos trazer. Estar com a família acima de tudo é valorizar nossas raízes, nossos fundamentos, valorizar aqueles que vivenciaram ruins e bons momentos de nossas vidas. Estar com a família é falar de si mesmo, é reforçara a própria história de vida, é admitir que sem ela não existiríamos.
Talvez alguns achem piegas esse tipo de declaração, mas se ser piegas é fazer questão de se reunir com aqueles dos quais amo em vez de ficar na frente de uma TV, então admito - sou piegas, e viva a pieguice!

Que a família ainda seja nossa importância primeira.
E nesse exato momento... "estou em família".

Fabiano Mina