janeiro 14, 2008

A vida, merece ser vivida?

Na última terça-feira, oito de janeiro de 2008, por volta das 10:30 a.m., tive um encapotamento com meu carro. Um acidente do qual eu nunca havia vivido, e espero nunca precisar viver outra vez.
Foi um acidente por imperícia, ou no mínimo por má sorte, se posso dizer que existe sorte. Meu carro derrapou num punhado de areia, quando percebi estava indo em direção à calçada e de encontro a um enorme muro. Local esse que fica próximo do autôdromo de Interlagos - SP.
Foi tudo muito rápido, minha roda dianteira bateu na calçada e em poucos segundos me vi de ponta cabeça com o carro virando sobre mim. Enfim! Saí ileso - "graças a Deus"! E se alguém duvida de milagres, eu posso dizer que vive um. Saí sem nenhum arranhão, nenhum só, um mínimo que fosse, bom... pra falar a verdade o meu tênis sujou um pouco no óleo que derramou do carro (...rs).

Minhas últimas indagações de alguns meses atrás era se a vida merecia ser vivida. Se ao virmos ao mundo, merecemos dar para a vida a oportunidade de nos ter como participantes dela. Mas essa reflexão se tornou ainda mais profunda após esse acidente, pois ficou mais claro de que a vida só existe porque "estamos vivos para vivê-la". A vida é a "nossa vida". Quando falamos da vida, falamos na verdade de como nós a vivemos, como nós a enxergamos, como nós interagimos com ela e com as pessoas que nos cercam. Sendo assim, não é uma questão de merecimento de viver ou não a vida, mas simplesmente vivê-la e ponto final.

Então a questão que decorre disto é outra - como viver essa vida? Particularmente acho que ainda devemos vivê-la intensamente. Eu estaria esses dias com certeza dentro de um caichão em estado de putrefação, deixando para trás todas as pessoas que amei, convivi, me relacionei...! Poderia ter partido sem dizer tantas coisas, fazer tantas coisas, aprender tantas coisas... mas a "vida" (Deus) me deu mais uma oportunidade, a oportunidade de viver a vida da melhor maneira possível e compartilhar com as pessoas que eu amo.

Quero continuar dizendo a todos o quanto vos amo, mesmo que isto não seja aceito por alguns, mesmo que isto me exija mais vigilância, mesmo que eu tenha que enfrentar preconceitos e barreiras, mesmo que o mundo me acuse de ser emocionalista ou piégas, ainda assim continuarei dizendo para todos dos quais eu amo que eu OS AMO E MUITO! É isso que a vida me deu, mais uma chance, "só mais uma", pois da próxima duvido que estarei vivo para dizer tudo o que quero dizer para todos que amo, talvez da próxima eu não escape. Então viverei a vida!

Fabiano Mina