janeiro 28, 2008

Amigos

Você tem amigos? Espero que sim, pois a amizade é a base para os verdadeiros relacionamentos sólidos.
Não é preciso dizer que sem amigos não temos relacionamentos duradouros.
A amizade não serve apenas para amenizar nossos sofrimentos, para pedirmos ajuda ou sairmos para festas, mas serve também para nos mostrar o melhor caminho a seguir nos momentos de dúvidas e para nos exortar quando saímos desse melhor caminho.
Amizade não se encontra em qualquer esquina, com certeza não! Mas a amizade sempre nos espera na esquina quando necessário.
Precisamos de amigos, pois amigos são preciosidades que abrilhantam nossa vida. Não dá para pensarmos em nossas vidas sem ao mesmo tempo pensarmos nos amigos que passaram por elas.
Tenho amigos e quero mais amigos! Amigos que me façam sorrir e até chorar, que me digam a verdade mesmo que doa, que mostrem minhas qualidades mesmo através dos meus defeitos, que me iluminem a vida mesmo quando ela parecer turva, que me carreguem quando eu precisar e me coloquem no chão quando eu achar que não posso mais andar.

É bom ter amigos, e você tem amigos?

Fabiano Mina

janeiro 21, 2008

Chuva ou sol?!

Se chove reclamamos porque tudo está molhado, trânsito fica infernal, as roupas não secam no varal.
Se faz sol, tudo fica quente, precisamos de água, o protetor solar acabou tudo é um horror. O que queremos afinal de contas, sol ou chuva?

Assim é nossa vida - nunca nada está bom para algumas pessoas. Se há sol é ruim, se há chuva é ruim, querem sempre uma vida "nublada", mas não existe uma vida "sempre nublada". Precisamos de sol assim como de chuva também. Precisamos saber enfrentar nossas dificuldades e usar bem os momentos felizes. Mas muitos perdem a chance de serem felizes porque estão sempre se queixando, reclamando, falando apenas das dificuldades. Alguns preferem fugir, acham que se escondendo das pessoas isso resolverá os problemas. Alguns entram em desespero ou depressão e fazem de tudo para que os outros sintam sua falta para então massagear seus egos. Tudo isto é um desperdício.

O que devemos fazer é vivenciar os dias quentes e chuvosos, aproveitar cada dia, cada momento que Deus nos dá, e vivermos felizes, na medida do possível, mesmo que para isso tenhamos que pagar um certo preço, o preço do risco, das tentativas, dos erros, dos desafetos, etc., são preços necessários a serem pagos e quem não quer pagar preço algum, então não sairá nunca nem no sol nem na chuva, viverão enclausurados, fechados, escondidos, e não viverão o melhor que esta vida ainda tem para nos dar.

E viva a chuva, e que surja o sol!

Fabiano Mina

janeiro 18, 2008

A felicidade de cada um

Se a felicidade é a aquisição material, então a grande parcela da humanidade será com certeza infeliz, pois dinheiro não é lá uma vantagem que todos possuem sobrando em seus bolsos.

Caso a felicidade seja um “estado de espírito”, então espiritualmente tem muita gente se esquecendo de se tratar.

Pode ser que a felicidade seja apenas uma aspecto emocional variável, e aí o que mais teremos são variações durante a vida, ou seja, um eterno – “felicidade-não-felicidade”, “não-felicidade-felicidade”, e por aí vai.

Alguns talvez digam que felicidade é conseguir fazer tudo o que se “pode” ser feito. Bom... então essa felicidade está bastante próxima do que alguns diriam ser libertinagem, anarquia, irresponsabilidade, etc.

Como podemos perceber felicidade não é algo tão simples assim de se definir e ainda assim sempre passará pela opinião própria de cada um que inclusive pode reunir todas essas citadas acima e outras mais. Mas particularmente prefiro dizer que a felicidade é a somatória daquilo que fazemos de bom, verdadeiro e justo durante a vida. Seguindo esta “receita” poderemos dizer no final da vida que fomos felizes, seja com as dificuldades ou com as facilidades que a vida nos proporciona.

Fabiano Mina

Como saber?

Antes eu podia, agora já não posso mais. Não porque eu não queira, mas porque a complicação se tornou grande demais.
Era um sonho, era tudo flores, mas o inverso se apresentou e agora sofro de dissabores.
Há algo dentro de mim que me comove a sonhar, mas o que está externo a mim me leva a me acovardar.
Como saber se posso? Será que posso? Como saber?
Procuro alguém que me diga, alguém que me esclareça. Não dá para viver assim, pois isto mortifica-me à cada dia.
Dá para arriscar? Como saber?
O sr. "risco" nem sempre é bem vindo, mas é com ele que alcançamos coisas inalcançáveis pelo sr. "medo".
Pode dar certo, como saber? Pode dar errado, como saber? Não sei se há como saber, mas saberei assim que o fizer.

Fabiano Mina

Suspirar!

Andando calmamente então suspiro!
Suspiro porque sinto em meu interior minha alma se esvaindo.
Anelo pelo futuro que não posso ver, mas desejo.
Desejo o que não sei, mas sei o que não desejo.

Pretendo o que não conheço, e conheço o que não pretendo ter.
É perceptível, mas é tão distante.
É belo, mas parece ser ignorante.

Me atropela, me mata, mas há um fluir ventoso que me atrai.
As asas revigorantes do ser me elevam ao crepúsculo da praia deserta em que me encontro.
Oh sol! oh lua! qual de vocês me terão pelos longos dias de minha vida, com qual dos dois conversarei mais tempo.
Meu tempo? Qual tempo? Não tenho mais tempo de ter tempo!

Assim me vou, assim tudo vai, assim todos vão.
Que assim seja, mas não para sempre, pois o sempre me parece dar sinais de nunca querer mudar, e preciso mudar.
Preciso suspirar, nem que seja mais uma vez.
Suspirarei enquanto o suspiro me servir como um novo fôlego!

Fabiano Mina

janeiro 14, 2008

A vida, merece ser vivida?

Na última terça-feira, oito de janeiro de 2008, por volta das 10:30 a.m., tive um encapotamento com meu carro. Um acidente do qual eu nunca havia vivido, e espero nunca precisar viver outra vez.
Foi um acidente por imperícia, ou no mínimo por má sorte, se posso dizer que existe sorte. Meu carro derrapou num punhado de areia, quando percebi estava indo em direção à calçada e de encontro a um enorme muro. Local esse que fica próximo do autôdromo de Interlagos - SP.
Foi tudo muito rápido, minha roda dianteira bateu na calçada e em poucos segundos me vi de ponta cabeça com o carro virando sobre mim. Enfim! Saí ileso - "graças a Deus"! E se alguém duvida de milagres, eu posso dizer que vive um. Saí sem nenhum arranhão, nenhum só, um mínimo que fosse, bom... pra falar a verdade o meu tênis sujou um pouco no óleo que derramou do carro (...rs).

Minhas últimas indagações de alguns meses atrás era se a vida merecia ser vivida. Se ao virmos ao mundo, merecemos dar para a vida a oportunidade de nos ter como participantes dela. Mas essa reflexão se tornou ainda mais profunda após esse acidente, pois ficou mais claro de que a vida só existe porque "estamos vivos para vivê-la". A vida é a "nossa vida". Quando falamos da vida, falamos na verdade de como nós a vivemos, como nós a enxergamos, como nós interagimos com ela e com as pessoas que nos cercam. Sendo assim, não é uma questão de merecimento de viver ou não a vida, mas simplesmente vivê-la e ponto final.

Então a questão que decorre disto é outra - como viver essa vida? Particularmente acho que ainda devemos vivê-la intensamente. Eu estaria esses dias com certeza dentro de um caichão em estado de putrefação, deixando para trás todas as pessoas que amei, convivi, me relacionei...! Poderia ter partido sem dizer tantas coisas, fazer tantas coisas, aprender tantas coisas... mas a "vida" (Deus) me deu mais uma oportunidade, a oportunidade de viver a vida da melhor maneira possível e compartilhar com as pessoas que eu amo.

Quero continuar dizendo a todos o quanto vos amo, mesmo que isto não seja aceito por alguns, mesmo que isto me exija mais vigilância, mesmo que eu tenha que enfrentar preconceitos e barreiras, mesmo que o mundo me acuse de ser emocionalista ou piégas, ainda assim continuarei dizendo para todos dos quais eu amo que eu OS AMO E MUITO! É isso que a vida me deu, mais uma chance, "só mais uma", pois da próxima duvido que estarei vivo para dizer tudo o que quero dizer para todos que amo, talvez da próxima eu não escape. Então viverei a vida!

Fabiano Mina

janeiro 02, 2008

Elas têm que ouvir para ser!

Essa é uma necessidade mórbida, egoísta, egocêntrica, mas infelizmente ela existe.

Há pessoas que só são o que elas ouvem ou gostam de ouvir, ou seja, há pessoas que necessitam de forma doentia de ouvir todos os dias que elas são as melhores, as mais belas, as únicas, as que mais amamos, etc., e se... se ameaçarmos falar qualquer coisa que fuja desse padrão estético egocêntrico, aí de nós!

São pessoas inseguras, que não se conhecem muito menos se dominam. São formatadas pelo que o mundo diz sobre elas. Se falam bem delas vão até os céus, se falam mal rapidamente estão no inferno. As pessoas que elas "amam" são as pessoas que lhe agradam a todo momento, seja com elogios, com presentes, com falsidades, as que falam verdades são as que elas "guerreiam", as que elas desprezam, as que elas desconfiam.

Quando pedem nossa opinião, não é a verdade que querem ouvir, querem ouvir aquilo que lhes agrada. Esse tipo de pessoas acha que o mundo deve servir a todos os seus caprichos e cada uma das pessoas que fazem parte de suas vidas são meros servos de seus prazeres fúteis.

Como podemos lhe dar com pessoas assim? Como nos relacionar, como conseguir amá-las e ao mesmo tempo viver a vida de forma feliz e alegre? É difícil...

Mas sou partidário de sermos na medida do possível complacentes com tais pessoas doentias, demonstrando paciência e temperança. Não é realmente fácil de lhe dar com tais pessoas, e sinceramente há sempre um pouco delas em cada um de nós.

Espero realmente que você que acaba de ler isto não seja uma delas, e se for trate de mudar logo, pois sua vida não passará de uma ilusão e as pessoas que lhe cercam com certeza não conseguem lhe falar a verdade, pois você prefere viver num mundo de mentiras para agradar seu ego, e convenhamos ser feliz de verdade acima de tudo é "viver a verdade".

Fabiano Mina

Um Ano Novo, o que esperamos?

Já percebeu aquela expectativa que criamos quando estamos prestes a migrar do ano presente para o ano futuro, ou seja, o ano novo? A maioria das pessoas começa a se planejar algumas semanas antes, até mesmo meses antes, para fazer do seu próximo ano um “ano melhor”. Mas porque será que não fazemos esse mesmo planejamento “todos os dias de nossas vidas”.

É natural que queiramos que um novo ano seja sempre um ano melhor, um ano em que possamos realizar nossos sonhos, desejos, projetos, etc., mas tanto quanto importante do que isto é entendermos que nada disso acontece como em um passe de mágica, para que um ano seja melhor é importante que façamos com que cada dia nosso seja melhor, a começar pelo de ontem...

Particularmente tenho certeza que eu poderia ter feito muito melhor cada um dos meus dias que se passaram, tenho certeza que poderia ter amado mais, me alegrado mais, estudado mais, trabalhado mais (bom, trabalho acho que está bom...rs), etc., sempre podemos melhorar alguma coisa com nossos amigos, parentes, conhecidos, e assim para que possamos de fato ter um ano sempre “melhor do que o anterior”.

A todos dos quais eu amo desejo ardentemente que tenham um ano melhor, um ano com realizações, com muitos projetos a serem cumpridos. Aos que faltei com uma presença mais amiga, mais sincera, mais correta, mais próxima, farei o máximo para melhor, afinal de contas todos nós precisamos melhorar!

Abraços a todos!

Fabiano Mina