agosto 11, 2006

SÓ(ciedade)?

Como anda nossa sociedade? Como anda você nela?

A palavra ‘sócio’ já deveria dizer alguma coisa, ou seja, nós seres humanos, somos sociais, somos interrelacionáveis ou pelo menos deveríamos.
Uma das vantagens (se é que podemos colocar como uma) de nós seres racionais, é conseguirmos nos comunicar e interagir para extrair o máximo de nós mesmos e do grupo sócio-cultural-econômico que vivemos, para buscar sempre o melhor entendimento. Essa deveria ser a nossa regra máxima, procurar sempre um denominador, mesmo que não tão comum, mas sempre buscá-lo, e essa busca por si só já seria um grande feito.
Mas não é isso que estamos percebendo no dia-a-dia. Há entraves, batalhes bélicas e políticas, estresse e apreensão por toda parte e tudo em nome do quê? Não da unidade, não do sócio, mas em nome do ego, no uno, do único.
Aqui em Sampa terror ocupa a vida dos habitantes paulistanos (vide data no texto). No mundo vemos Israel lutando contra tudo e todos em sua volta, fazendo o que as grandes nações mais ‘adoram’, ou seja, arrumar um bom pretexto para invadir outros países como Irã, Iraque e compatriotas, tudo isso em nome do ‘outro negro’ (petróleo). Haja vista os E.U.A. que só precisa de um bom, ou nenhum, motivo para isso.

Mas o pior ainda está por vir – esse problema está dentro dos ônibus quando uma sra pede para se sentar e alguém simplesmente finge que está dormindo ou não é com ele, ou quando levamos uma cotovelada só porque está apertada a passagem. Quando alguém ultrapassa um carro na avenida e alguém xinga ou 'desce a mão' da buzina , quando casais discutem nos seus lares por motivos banais e por incrível que pareça (que não tem nada de incrível) até mesmo dentro de uma ‘instituição’ chamada Igreja isso é frequente. Sim... os entraves e batalhes estão no centro da Igreja Cristã que é reflexo da sociedade em que vivemos, o que deveria na verdade ser o contrário – a sociedade ser o reflexo da Igreja.

Logo o que nossa sociedade marca e deixa marcas, é de uma sociedade em constante conflito, isso começando, ou terminando, por aqueles que deveriam promover a paz. Não a paz que o mundo oferece, mas a paz que vem de Deus: “como vo-la dou - disse Jesus”.

Se não conseguirmos promover paz dentro do nosso pequeno meio social, como poderemos cobrar mudanças na sociedade global? Como poderemos dizer que de fato somos sociáveis.

E você, tem promovido o quê?

Abraços,

Fabiano Mina